Ultimas

Viúva de Brodie Lee fala sobre os últimos dias do lutador


 O falecimento de Brodie Lee colocou o mundo do wrestling em choque, com homenagens ao lutador a virem de todo o mundo e de todas as companhias. Lee deixou a esposa e dois filhos menores, e Amanda, a viúva, compartilhou agora os últimos momentos do lutador.

Foi no podcast AEW Unrestricted que Amanda Huber foi convidada e falou sobre a dor passada pela família.

  • Segunda-feira
    • No dia em que Brodie Lee participou no AEW Unrestricted, o lutador não conseguiu terminar o seu treino de bicicleta, com falta de ar. Amanda, preocupada que fosse COVID-19, mediu a temperatura e testou o paladar e cheiro de Lee, mas estava tudo normal.
  • Terça-feira
    • Nova tentativa de treino, com os mesmos resultados.
  • Quarta-feira
    • Lee foi a Jacksonville para as gravação do Dynamite. Apesar do teste negativo para COVID, Doc Sampson não se sentiu confiante e não permitiu o lutador sair para o ringue, fazendo-o regressar a casa.
    • Como precaução, Lee fez quarentena em casa longe da esposa e dos filhos.
  • Quinta-feira
    • Lee começou a ter febre alta. Amanda manteve-o hidratado mas já não conseguia comer.
    • Fez um teste nasal para COVID, com resultado negativo no Domingo.
  • Sexta-feira
    • Lee deu entrada nas urgências e foi diagnosticado com Bronquite alérgica, apesar do lutador sentir que estava com pneumonia. Foi-lhe receitado antibiótico, esteróides e medicamentos para alergias.
  • Domingo
    • Já mostrava sinais de luta. À medida que regressavam ao hospital, Lee contorcia-se para falar com Amanda, que tentou fazer com que Lee se entasse numa cadeira de rodas, mas ele recusou.
    • Na triagem a temperatura já estava regularizada, mas tinha indíce de oxigénio de 52 (sendo o normal de 100 e perto de 85 com asma), causando enorme preocupação e colocado a oxigénio. Houve nova suspeição de COVID, mas um novo teste teve resultado negativo.
Amanda notou melhorias e degradações de saúde a todo o momento. às vezes parecia estar bem, outras vezes estava a lutar.
  • Quarta-feira
    • Foi levado para a Unidade de Cuidados Intensivos para ser observado constantemente.
  • Após o Halloween
    • Os médicos dizem que precisavam de transferir Lee para um hospital fora de Tampa, sendo escolhido a Mayo Clinic em Jacksonville, que tinha ligações com a AEW.
    • O motivo da transferência é que precisava de uma máquina de Oxigenação por membrana extracorporal, pois era caso de vida ou morte, com grandes possibilidades de transplante de pulmão.
    • Apesar de Lee estar consciente, Amanda foi aconselhada a não ver o marido, pois estava muito emocionada e poderia tornar as coisas piores.
    • Mais tarde, Amanda disse ao filho do casal que o pai ia para o melhor hospital da Flórida e que iam cuidar bem dele. Ela não quis estar a mentir ao filho e dizer que ia ficar tudo bem, mas quis focar-se nas coisas positivas.
    • Quando estava a fazer as malas recebeu um telefonema a dizer que Lee foi-se abaixo e estava intubado.
    • Quando Amanda chegou ao hospital viu um cenário 'horroroso'. Só perto da uma da manhã é que conseguiram voar para Jacksonville.
  • Primeiro dia em Jacksonville
    • Brodie foi ligado às maquinas e preparado para cirurgia, com Amanda a ter que ficar no hotel.
  • 9 de Novembro
    • Amanda tratou da papelada para o transplante de pulmão. Após a AEW questionar como queria que fosse tratada a situação, Amanda quis que continuasse privado e quis falar pessoalmente com o pessoal da AEW para manter assim. Amanda e Aubrey iam muitas vezes por dia a sites como o Reddit para saber se alguém tinha dito algo.
  • Final de Novembro
    • Brodie Lee mostrou sinais de melhorias. Foi feita uma traqueotomia e ele já podia comunicar com a mulher de forma não verbal. Começou a fazer fisioterapia e passoua estar apenas a oxigénio, em vez de um ventilador.
    • Lee teve depois um ataque de pânico, o que fez as coisas piorarem a partir daqui.
  • Dezembro
    • O casal voltou a repensar a ideia de transplante, pois as coisas continuavam a piorar.
    • Quando Lee estava no hospital, contraiu uma infecção pulmonar, mas só se soube no dia 13.
  • 16 de Dezembro
    • Chris Jericho foi buscar Brodie Lee Jr. e levou-o a ver o Dynamite, pois ele é grande fã de wrestling.
    • Amanda esperava um telefonema acerca do transplante, mas não chegou a receber a chamada.
  • 24 de Dezembro
    • À medida que Amanda tinha decidido passar uns dias com os filhos, recebe um telefonema dos médicos a dizer que era preciso decidir desligar as máquinas, pois os rins e coração de Lee estavam a falhar.
  • 25 de Dezembro
    • Apesar das dificuldades, a família tentou ter um Natal normal. Nessa noite Amanda e os cunhados voaram para Jacksonville, com as crianças a ficar com a sogra.
    • Amanda também telefonou a Cody Rhodes e Big E para ver se eles conseguiam estar com as crianças quando ela dissesse a Brodie Lee Jr que o pai tinha falecido.
  • 26 de Dezembro
    • Cody, Big E, Shawn Spears, Peyton Royce, Tyler Breeze e os conselheiros jurídicos da AEW foram despedir-se de Brodie ao hospital. Depois Cody, Big E e Amanda foram contar ao filho sobre a situação.
    • A causa da morte é 'fibrose pulmonar idiopática'. O termo 'idiopático' significa que é algo que não foi conhecido, sendo a fibrose pulmonar uma situação em que os pulmões estão cheios de cicatrizes. Amanda ainda não conhecia o relatório de autópsia.
  • 30 de Dezembro
    • Por causa do COVID-19, não houve cerimónias fúnebres e Amanda considera o episódio da AEW 'o seu funeral'.
    • Amanda não quis ver o vídeo de homenagem antes de ir para o ar. A reacção foi de ter sido a primeira vez que viu o vídeo e ela considerou perfeito.
Foi uma perda que afetou muito o wrestling, principalmente porque era alguém muito querido dentro da indústria. Houve algumas acusações e especulações que afetaram a família de Amanda logo a seguir à morte de Lee, mas ela ganhou forças e conseguiu esclarecer isto tudo.

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.