Ultimas

AEW: Thunder Rosa fala sobre o seu estatuto de outsider: "Senti a pressão desde o primeiro momento"


Thunder Rosa é um dos grandes nomes do wrestling atual, tanto no mundo da AEW como no das indies. Na empresa de Tony Khan, Rosa tem sido regularmente figura de destaque, e no que respeita às indies é a principal dona da empresa de wrestling feminino Mission Pro Wrestling, onde assume também um papel ativo no roster.


A mexicana foi a mais recente convidada das Oral Sessions com Renee Paquette e, entre muitas coisas, falou-se do facto de ela própria ser aquilo a que se chama uma outsider. Thunder Rosa, 35 anos, é assistente social de profissão, mas foi no wrestling que se fez notar e o facto de se ter ambientado tão facilmente ao círculo quadrado causou desconfiança a muita gente.


Sobre o facto de não ter qualquer passado no wrestling à semelhança de muitos dos seus colegas de empresa e profissão, Rosa disse o seguinte:

"Sabes, eu senti a pressão desde o primeiro momento, porque eu sabia ao que ia. Eu sou uma outsider. Não sei se te recordas, mas o ponto principal da storyline era "tu não pertences aqui. Tu não pertences aqui". Eles continuam a dizer que sou uma outsider durante toda a minha carreira, porque nunca tinha visto wrestling. Eu era assistente social e vim parar ao mundo do wrestling porque era divertido. Era algo que me interessava e acabei por me tornar muito boa nisso. E as pessoas não gostavam lá muito".


 


Sobre a sua chegada à AEW e a sua afirmação na empresa, Thunder Rosa falou como é uma bênção e uma maldição quando se é demasiado bom no que se faz, mas que isso acabou por ajudá-la.

"Vens de outra empresa e é uma bênção e uma maldição se és demasido bom naquilo que fazes, não importa o emprego. Então chegas lá, é suposto fazeres aquilo uma vez e pronto, e depois ficas do género "como é que é, pessoal? Sou aquela prima que ninguém quer ver, mas têm que me aturar". E de repente eles põem-me num spot super importante e eu fico "Meu Deus!". Apesar destas adversidades, a Thunder Rosa acreditou em si própria. Ela sabia que, desde que fosse capaz de contar uma história em ringue da maneira que era suposto, iria ficar bem". 

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.